Sobe para 25 o número de mortes confirmadas por dengue em MG; Uma em Paracatu





Vinte e cinco pessoas morreram de dengue em Minas Gerais este ano, de acordo com boletim divulgado nesta terça-feira (7) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Já são 209.276 casos prováveis, um aumento de 43.423 registros em uma semana.

Os óbitos foram registrados em:

  • Betim (9)
  • Uberlândia (8)
  • Contagem (2)
  • Unaí (2)
  • Arcos (1)
  • Frutal (1)
  • Ibirité (1)
  • Paracatu (1)

Outros 82 casos estão em investigação.

Casos prováveis da doença, de acordo com o balanço:

  • BH (23.727 casos prováveis)
  • Contagem (8.008)
  • Betim (2.307)
  • Ribeirão das Neves (2.644)
  • Ibirité (1.690)
  • Santa Luzia (846)

A SES ressalta que as mortes foram notificadas ao longo do ano e não são, necessariamente, óbitos recentes.





Emergência

O governador Romeu Zema (Novo) decretou situação de emergência em saúde pública em parte do estado como medida para conter o avanço da dengue. O ato, que foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais, abrange o Centro, Noroeste, Norte, Oeste e Triângulo Mineiro.

Em relação à chikungunya, Minas Gerais registrou 1.587 casos prováveis da doença em 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.

Já em relação à zika, foram registrados 650 casos prováveis da doença em 2019, até o dia seis de maio.

A SES disse que um registro maior de casos é esperado para este período (meses quentes e chuvosos) devido à sazonalidade da doença. Dessa forma, o estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika).

Ações de combate

Em relação às ações para controle do mosquito transmissor, a SES informou que tem adotado uma série de medidas de apoio aos municípios que apresentam aumento no número de casos de dengue, zika e chikungunya.

Também foi publicada uma resolução com a aprovação de liberação de recurso financeiro de R$ 4,180 milhões para ações de enfrentamento da dengue nos 93 municípios com incidência alta ou muito alta da doença.

A cada 15 dias, até o dia 30 de junho, de acordo com a divulgação de um novo Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, os municípios com alta incidência irão contar com incentivo financeiro complementar, por meio de resolução específica.

Entre as demais medidas tomadas para diminuir o crescimento do número de casos no estado está a realização de uma força-tarefa, composta por agentes da Saúde Estadual e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) a 10 municípios com alta incidência de pessoas com dengue e alta infestação pelo mosquito.

Fonte: G1.com





Comentários no Facebook