Confronto entre policiais e quadrilha criminosa acaba em mortes em Brasilândia de Minas





Armamentos e equipamentos explosivos são apreendidos durante ação policial contra quadrilha em Brasilândia de Minas — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma investigação comandada por policiais militares e civis do Estado de Goiás acabou em confronto com uma quadrilha suspeita de roubos a carros fortes e bancos na noite desta terça-feira (4) em Brasilândia de Minas, no Noroeste mineiro.

A ocorrência ainda estava em andamento na manhã desta quarta-feira (5) e cinco criminosos foram mortos durante a troca de tiros.

Confronto

Segundo informações dos policiais, a organização, denominada de “Novo Cangaço” e composta por seis pessoas de idades não informadas, é suspeita de praticar ações criminosas nos estados de Goiás, Minas Gerais Bahia e Distrito Federal.




De acordo com o delegado, Marcos Tadeu de Brito, os autoresexplodiram um carro forte, no dia 26 de novembro, na BR-040, próximo à cidade de Cristalina (GO).

Durante as investigações, os policiais constataram que a quadrilha estava escondida em uma propriedade rural de Brasilândia de Minas, no Projeto de Assentamento Elza Estrela. As autoridades foram até o local para realizar a abordagem dos criminosos, mas, ao perceberem a presença dos policiais, os autores entraram em confronto.




Os policiais e o grupo suspeito trocaram tiros e o confronto foi finalizado pela madrugada desta quarta-feira. Cinco criminosos morreram e os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Paracatu.

Buscas continuam

Durantes buscas no interior da propriedade rural, foram encontrados vários fuzis, pistolas, espingardas e outros materiais utilizados nas ações criminosas.

Os equipamentos foram apreendidos e encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de João Pinheiro, no Noroeste de Minas.

Um dos criminosos conseguiu fugir e rastreamentos seguiam sendo feitos até esta publicação pelos policiais de Goiás e de João Pinheiro a fim de localizá-lo.

Fonte: G1 Triângulo Mineiro




Comentários no Facebook