Via 040 conclui primeira etapa da duplicação da BR-040

Nova Lima, 03 de julho de 2015 – Usuários da BR-040 já podem trafegar pelas novas pistas duplicadas no trecho em João Pinheiro, Noroeste de Minas Gerais. Os segmentos duplicados apresentam o padrão de qualidade que será implantado nos 936,8 quilômetros entre Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG), como separação física dos sentidos de tráfego, pistas mais largas, presença de acostamento, sinalização eficiente e asfalto de alta aderência. A área atendida nesta etapa de duplicação reúne 19 municípios mineiros é a líder na produção de grãos do estado, responsável por cerca de 25% do total colhido, ou quase 3 milhões de toneladas, conforme dados da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“A entrega aos usuários deste trecho duplicado tem grande significado. Nos próximos quatro anos duplicaremos 100% da BR-040. Nosso trabalho contribuirá para reforçar a vocação econômica da região Noroeste, ligada ao agronegócio e que precisa escoar utilizando um corredor de tráfego competitivo no mercado.”, destaca o presidente da Via 040, Tulio Abi-Saber.

br040duplicada

Trecho duplicado na região de João Pinheiro-MG

GANHO EM LOGÍSTICA

O PIB brasileiro do agronegócio gira em torno de R$ 1,3 trilhão. Minas Gerais tem 13,3% de participação (R$ 162,3 bilhões). Em 2014, 28% das exportações do estado vieram desse setor, o que representou US$ 8 bilhões (cerca de R$ 25 bilhões) em divisas. Tem-se clara a importância da logística para a atividade.

A modernização da BR-040 é um suporte para o aumento da competitividade do agronegócio no Noroeste de Minas Gerais. A região caracteriza-se por territórios municipais extensos (João Pinheiro é o maior município do estado em área, por exemplo). Assim, uma rodovia duplicada, segura e confiável, que conecte essas cidades e que sirva como canal de escoamento da produção para os portos do Sudeste, por exemplo, é fundamental.

As pistas duplicadas têm duas faixas de rolamento em cada sentido, cada qual com 3,6 metros de largura, além de acostamento com 2,5 metros de campo. Os sentidos de tráfego são separados por um canteiro central, integrado a um completo sistema de drenagem. Essa configuração permite aos transportadores de bens agrícolas, geralmente carretas de grande porte, como bitrens, terem uma rodovia mais previsível e confiável, que permita o cumprimento de prazos de entrega e que facilite as operações de logística.

SEGURANÇA

A rodovia duplicada representa ganhos em segurança, fluidez e também econômicos. Essa configuração reduz o risco de colisões frontais, que elevam em até 25 vezes a possibilidade de óbito das vítimas. Além disso, pistas mais largas permitem a circulação de veículos com maior distância entre si, outro importante fator de segurança. As novas pistas agilizam a movimentação de bens e reduzem os desafios operacionais, o que se reflete em menor preço do frete e no aumento da competitividade da economia.

Foi implantada também uma nova sinalização vertical e horizontal, com placas de indicação, advertência e regulamentação mais eficientes, além de faixas refletivas pintadas no pavimento, o que contribui para a direção noturna, assim como os olhos de gato instalados nos trechos. Painéis de mensagens variáveis completam o sistema.

O trecho de João Pinheiro se soma aos trechos também concluídos em Luziânia e Cristalina, em Goiás. No total são 58,6 quilômetros de pistas duplicadas.

 

Confira os trechos duplicados:

João Pinheiro: Km 167,5 ao Km 172,6.

Cristalina: Km 69,5 ao 74,5; Km 79 ao 88,8; e Km 105,3 ao 130,3.

Luziânia: Km 33,5 ao 40,5 e Km 51,5 ao 58,2.

 

PRÓXIMOS PASSOS

Até 2019, a Via 040 planeja entregar aos usuários uma rodovia 100% duplicada entre Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG), com 936,8 quilômetros de extensão. A BR-040 terá padrão internacional, conhecido tecnicamente como Classe 1-A. Isso significa asfalto de alto padrão; sinalização ampla e eficiente; áreas de escape; cruzamentos e retornos em desnível; acessos adequados; novas passarelas, dentre outros avanços. Além disso, serão feitas correções de traçado em pontos estratégicos.

Potência do Agronegócio

O Noroeste de Minas Gerais é o maior produtor de feijão de Minas. O estado produz cerca de 600 mil toneladas da leguminosa e a região responde por 27% do total. Milho, soja, trigo e café também são destaques, bem como os setores da pecuária, agroflorestal (eucalipto) e sucroalcooleiro (cana de açúcar).

 

Comentários no Facebook