De malas prontas: Professores e acadêmicos da Faculdade Finom partem para o Pará em mais uma edição do Projeto Rondon

Levar conhecimento, trabalhar a favor de populações menos favorecidas e aprender com as comunidades beneficiadas. Esta é a linha de trabalho do Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa. Paracatu estará representado mais uma vez por meio dos alunos e professores da Faculdade Finom, no qual neste mês de julho estarão participando da Operação Forte do Presépio que acontecerá em alguns municípios dos Estados do Pará e Maranhão.

A equipe da Faculdade Finom, formada por oito alunos dos cursos de Engenharia de Minas, Engenharia Ambiental, Engenharia Elétrica, Agronomia, Direito e pelos professores, Pedro Eduardo Ribeiro de Toledo (Coordenador do Projeto Rondon na Faculdade Finom) e João Paulo, estarão atuando no município de Nova Timboteua no Estado do Pará, município de pouco mais de 13 mil habitantes, distante da capital Belém de 130 km. Os rondonistas partem nesta sexta-feira (5), ao meio dia com destino a Brasília –DF e da capital federal para Belém (PA), onde de lá, seguem de ônibus ao destino da ação em Nova Timboteua (PA).

Serão desenvolvidas atividades que contemplem os seguintes eixos temáticos: Comunicação, Meio Ambiente, Trabalho, Tecnologia e Produção. Como exemplo, podemos citar: divulgar serviços e programas oferecidos na esfera federal, realizar campanhas relativas à correta destinação de resíduos sólidos, incentivar o cooperativismo e o empreendedorismo, cultivar horta comunitária, entre outras. O trabalho será realizado no período de 06 até 22 de julho, onde rondonistas de 60 Instituições de Ensino Superior de todo país, atenderão as demandas sociais de 30 municípios que compõem a Operação.

Conheça Nova Timboteua

Em 1888, Serafim dos Anjos Costa requereu junto ao governo provincial área de terras onde hoje se localiza a sede municipal de Nova Timboteua. Nessa mesma época fixaram residência no lugar Afonso Roberto Pimentel e Manoel Maria. Num esforço conjunto, os pioneiros atraíram novos moradores e, em 1892 e núcleo já estava dilatado.

A Lei nº324, de 6 de julho de 1895, reconheceu oficialmente o povoado de Timboteua. A população entrou em decadência e foi extinta, em 1906, em função da construção da Estrada de Ferro de Bragança, que passava alguns quilômetros dali. Surgiu um núcleo às margens da estrada de ferro, localidade anteriormente denominada de Tabuleta, por causa da existência de um marco da quilometragem da via férrea. Em 1915, devido ao progresso, a localidade de Tabuleta atingiu a condição de povoado. A denominação Tabuleta não perdurou, optando os moradores pela de Nova Timboteua, para diferenciar da “Velha” Timboteua. O município de Nova Timboteua foi criado pelo Decreto Lei nº 4.505, de 30 de dezembro de 1943, com território desmembrado de Igarapé-Açu e atualmente, conforme dados do IBGE, possui 13.660 habitantes.

 

Participações da Faculdade Finom no Projeto Rondon

A Faculdade Finom foi a primeira Instituição de Ensino Superior das regiões Noroeste e Alto Paranaíba a ter propostas aprovadas para o Projeto Rondon.

Janeiro de 2011: São Miguel do Tocantins, em Tocantins (Operação Carajás), e em Umbaúba e Nossa Senhora Aparecida, no Estado do Sergipe (Operação Rio dos Siris A e B);

Julho de 2011: Calçoene, no Amapá (Operação Oiapoque) e na cidade de Urucurituba, no Amazonas (Operação Peixe-Boi).

Janeiro de 2012: Babaçu, no Maranhão (Operação Babaçu).

Julho de 2012: Magalhães Barata, no Pará (Operação Açaí).

Janeiro de 2013: Santa Inêz, na Bahia (Operação 2 de Julho) e São João do Piauí, no Estado do Piauí.

Conheça o Projeto Rondon

O projeto Rondon é a maior atividade de extensão do país, sendo reconhecido pela ONU – Organização das Nações Unidas como uma das mais importantes atividades sociais desenvolvidas pelas forças armadas no Brasil. O Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa, é um projeto de integração social que envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população e busca aproximar esses estudantes da realidade do País, além de contribuir, também, para o desenvolvimento das comunidades assistidas.

Comentários no Facebook