Você pode contribuir para a regulamentação do voto aberto na câmara municipal de Paracatu-MG!

Num Estado democrático de direito, a manutenção do voto secreto não tem justificativa. Manter o voto secreto é caminhar ao lado da corrupção e da impunidade. Não tem lógica, em hipótese alguma, os nossos vereadores votarem de forma escondida, parece que com a permanência do voto secreto há algo que os vereadores têm a esconder da população paracatuense. Como podem esconder o voto dos patrões (cidadãos)? Quando a população elege os vereadores, ela passa a eles uma procuração, dessa forma os vereadores são obrigados a prestar contas. Como é que os vereadores prestam contas se o voto é secreto? Dessa forma eles não estão prestando contas, não adianta os vereadores irem às redes sociais e postarem uma simples informação ou opinião sobre um projeto polêmico ao serem questionados por um cidadão que frequenta a câmara, prestar contas é muito mais do que isso! A sociedade civil organizada está se mobilizando para exigir e pressionar os vereadores a acabar de vez com o voto secreto, característico dos regimes antidemocráticos; eu como cidadão, não poderia ficar de fora dessa luta, posiciono-me favoravelmente frente a regulamentação do voto aberto na câmara municipal de Paracatu-MG. Essa iniciativa dá transparência e propicia que todos votem de acordo com suas convicções e as confirmem, fortalecendo assim a relação de eleitos e eleitores, mas, essencialmente, com o Poder Legislativo. Saímos do regime ditatorial há pouco mais de 28 anos, em 1988 foi aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país, ficou conhecida como “documento da liberdade, da democracia e da justiça social”, a manutenção do voto secreto vai contra o que prega a nossa Carta Magna. Cabe a cada cidadão paracatuense que ainda não abraçou esta causa, o papel de pressionar os 17 vereadores eleitos para que a câmara municipal de Paracatu se torne um ambiente ético, transparente e justo. A experiência democrática do Brasil é ainda muito jovem. Temos um longo caminho até alcançarmos a sua consolidação. O fim do voto secreto na câmara municipal não é apenas uma “onda de baderneiros” como alguns dizem… É, sim, uma necessidade, e urgente!

Vítor Soares

Vítor Soares

Vítor Soares. Professor de Geografia da rede pública de ensino, graduando em Pedagogia, pós-graduando em Gestão Ambiental, Biodiversidade e Geografia.

Comentários no Facebook