Paracatuenses esperam tirar boas notas no Enem

Tarde de sol em sábado de refresco para a amizade de chinelas nas calçadas dos bares da Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Não para Mariana, Kellen, Pedro Henrique, Otávio, Kimberli e Caroline. Avessos ao lazer por força das circunstâncias, os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) estão entre os 723.644 inscritos em Minas Gerais. Na reta final para as provas no próximo fim de semana, o grupo de estudantes encara até 14 horas de revisão das matérias por dia. Tudo por uma vaga na universidade.

Só em um dos principais cursos de pré-vestibular de BH, cerca de 800 alunos participaram de programas especiais de revisão e monitoramento. Mariana Pires, de 19 anos, e Kellen Núbia, de 18, marcaram presença. Dedicadas, esperam alcançar maior pontuação do que no ano passado. Mariana quer ser dentista; Kellen, engenheira. Colegas de classe no ensino médio, em 2010 e 2011, este ano estão por conta do vestibular. “O ano passado foi muito pesado, estava trabalhando num programa de jovem aprendiz, ainda tinha as aulas do colégio e o cursinho”, conta Mariana.
Kellen acredita estar mais bem preparada, mas revela ter momentos de desespero com os estudos. “Ao mesmo tempo que penso estar pronta, tem hora que não sei nada”, diz. A estudante vinda do Colégio Tiradentes, no Bairro Prado, na Região Oeste de Belo Horizonte, diferentemente de muitos candidatos, diz não estudar mais na reta final. “Estou tentando dormir melhor, comer melhor e ter uma relação mais tranquila com a minha família e com os meus amigos. Sinto que isso vai me ajudar a ter mais calma na hora da prova”, considera.

Pedro Henrique Ribeiro, de 19, com 667 pontos no ano passado, quer aumentar a marca no próximo fim de semana. Chova ou faça sol, o candidato ao curso de engenharia ambiental estuda pelo menos 10 horas diariamente. Morador do Bairro Eldorado, em Contagem, ele diz fazer de tudo para “arranjar um tempinho” para o lazer. “Relaxar ajuda. Ficar só por conta dos estudos também deixa a gente tenso e isso acaba é atrapalhando”, avalia. Henrique Luiz Moreira, de 18, é outro que quer fazer engenharia. Para ele, fim de semana de descanso só quando estiver na universidade. “Agora é hora de estudar!”, afirma.

Caroline Damasceno, de Paracatu, teve poucos sábados de lazer este ano (Túlio Santos/EM/D.A Press)
Caroline Damasceno, de Paracatu, teve poucos sábados de lazer este ano

 
Superação Depois de fazer quase 700 pontos em seu primeiro Enem, Otávio Alves da Cruz Neto, de 18, veio de Malacacheta, no Vale do Mucuri, para ser doutor. “Toda essa dedicação é para me superar. Sei que estou abrindo mão de lazer em prol do meu futuro”, reconhece. Para Otávio, o maior desafio que ele enfrenta com as provas é o tempo. “Os simulados são ainda mais complexos do que o exame. Nos dois últimos, fui bem. Estou confiante”, sorri. De janeiro a outubro, ele conta duas saídas com os amigos. De resto, é só estudo.

Otávio não está sozinho na disciplina e no empenho. Na mesma sala do segundo andar da Rua Paraíba, no Bairro Funcionários, estão outras duas aplicadas candidatas ao curso de medicina. Kimberlli de Seixas Nunes, de 18, e Caroline Neiva Damasceno, de 18, vindas de Paracatu, no Noroeste de Minas Gerais, há tempos desconhecem o que é divertimento. Ambas esperam alcançar mínimo de 800 pontos. Desde o ano passado, estudam de segunda a segunda e contam média de 13 horas diárias sobre os livros e cadernos de exercícios.

Para o professor de história e coordenador do Ensino Médio do Colégio Nossa Senhora das Dores, Marco Aurélio Ferreira, não adianta ficar tenso ou se desesperar. O importante agora, segundo o mestre, é acreditar, dormir bem e se alimentar com cuidado para favorecer os mecanismos da memória.

>> Dicas para o exame

1) Mantenha a calma. Tenha pensamentos positivos e confie na sua preparação.
2) Comece a prova pela matéria em que tem mais facilidade. Assim, você tem mais chances de acerto e garante mais pontos.
3) Leia primeiro a pergunta e identifique o que está sendo cobrado. Em seguida, leia o texto do enunciado procurando as respostas.
4) Controle seu tempo. Você terá uma média de 3 minutos para resolver cada questão.
5) Se estiver com dificuldade numa pergunta, deixe-a para o fim. Faça as mais fáceis primeiro e só depois retorne às mais complicadas.
6) No dia da prova de redação, comece por ela. Reserve cerca de uma hora para fazer o texto.
7) Identifique o verbo de comando e limite-se ao tema proposto. Seja criativo e original, mas evite ousadias no texto.
8) Faça rascunho para organizar as suas ideias. Coloque os argumentos em tópicos no rascunho e, depois, redija o texto no papel oficial.
9) Fique atento à norma culta da língua portuguesa e não se esqueça das novas regras impostas pelo acordo ortográfico.
10) Guarde tempo para passar o gabarito com calma. O ideal é que você deixe mais de 30 minutos reservado para essa tarefa.

Comentários no Facebook